Fortaleza Hotel

DIRIGIDO POR ARMANDO PRAÇA, FORTALEZA HOTEL ESTREIA DIA 27 DE JANEIRO



Protagonizado por Clébia Sousa e a atriz sul-coreana Lee Young-Lan, o filme aborda o poder da amizade na superação das diferenças e a solidariedade


Foto de Jorge Silvestre


Acolhimento, compreensão e ajuda mútua por mulheres de duas culturas distintas estão ao centro de FORTALEZA HOTEL, novo longa de Armando Praça (“Greta”), que estreia nos cinemas brasileiros no dia 27 de janeiro. O filme que foi exibido e premiado no 31º Cine Ceará é uma distribuição da Vitrine Filmes.

FORTALEZA HOTEL é sobre duas mulheres de culturas distintas que se  conectam a partir de seus problemas e se comunicam do fundo de suas solidões. Um filme que mostra o poder feminino através da solidariedade, um dos sentimentos mais poderoso e conhecido da alma humana.


Foto de Jorge Silvestre


Pilar (Clébia Sousa, premiada como Melhor Atriz no Cine Ceará) é camareira num hotel em Fortaleza, mas em breve espera imigrar para Dublin, Irlanda, e, para isso, está estudando inglês. Ela foi mãe muito jovem, e, neste momento, enfrenta problemas com a filha adolescente Jamile (Larissa Góes). 


Foto de Jorge Silvestre


Shin (Lee Young-Lan) vem ao Brasil para buscar o corpo do marido que morreu em Fortaleza, e levar para ser sepultado na Coreia do Sul. Os trâmites, no entanto, se revelam mais complexos e mais caros do que o esperado.

Nessas duas mulheres, o diretor vê duas faces da globalização que explodem numa Fortaleza repleta de esperança. “A gente tem cada vez mais que se juntar. Porque essas diferenças que foram criadas por diversas ordens, na verdade, estão levando a gente a um colapso, ambiental, psicológico, financeiro, a um colapso de saúde pública, todas as naturezas de colapso possível. A gente está degringolando porque estamos nos distanciando uns dos outros por questões ideológicas, políticas, religiosas, econômicas."


Foto de Jorge Silvestre


O diretor investiga como a amizade improvável entre essas duas mulheres pode transformar a vida de ambas. Comunicando-se num inglês rudimentar, Pilar e Shin encontram uma maneira de se ajudar no momento em que as duas enfrentam dificuldades. Praça se preparou para isso de uma maneira bastante peculiar. “Eu me exercitei vendo filmes falados em inglês com legendas em inglês antes de filmar. Um pouco para me familiarizar com o inglês, para observar a entonação das atrizes, pois eu precisaria entender se aquilo estava dentro da chave correta da emoção.”


Foto de Jorge Silvestre


Esteticamente, FORTALEZA HOTEL é construído com apuro visual na fotografia assinada por Heloísa Passos. Antes de começar a rodar seus filmes, Praça coleciona um grande acervo de referências de fotografias, e constrói um universo visual que servirá de base para o filme e, a partir daí, criou uma estética bastante própria do longa. “Todas as cenas de rua, noturnas, eu queria filmar como se viesse uma luz por trás do corpo da atriz, ao invés de eu jogar a luz para frente para ver o rosto. Eu via como se ela fosse uma silhueta. Quando a gente filmava na rua ao invés de acender a gente mais apagou luzes, mas claro que a gente acendeu algumas muito pontuais.

No longa, cujo roteiro é assinado por Isadora Rodrigues e Pedro Cândido, Praça explica ter procurado “sentimentos universais e, sobretudo, urgentes, pois acredita que é através da solidariedade, essa já tão  conhecida ferramenta feminina, que vamos romper barreiras e nos reinventar como humanidade.”


Sinopse:

A camareira Pilar conhece Shin, uma hóspede sul-coreana. Quando os planos de ambas começam a dar errado, elas acabam se aproximando e estabelecendo uma intensa relação de solidariedade, buscando encontrar uma na outra a solução para seus problemas.

Ficha Técnica:

Direção: Armando Praça

Roteiro: Isadora Rodrigues, Pedro Cândido

Elenco: Clébia Sousa, Lee Young-Lan, Demick Lopes, Larissa Góes, Ana Marlene e Vanderlei Bernardino

Produção: Maurício Macêdo

Coprodução: João Vieira Jr., Nara Aragão

Produção Executiva: Janaína Bernardes e Maurício Macêdo

Fotografia: Heloísa Passos

Montagem: Rita Pestana, Karen Harley, Gustavo Campos

Direção de Arte: Diogo Costa

Figurino: Tarsila Furtado

Som Direto: Pedrinho Moreira e Moabe Filho

Trilha original: O Grivo

Edição de Som e Mixagem: Nicolau Domingues

Colorista: Pablo Nóbrega

Assistência de Direção: Mykaela Plotkin

Direção de Produção: Clara Bastos

Gênero: drama

País: Brasil

Ano: 2021

Duração: 77 min.


Informações: Sinny Assessoria

Confira a crítica abaixo:


Comentários

Postagens mais visitadas