Entrevista com Anatol Schuster, diretor do filme Senhora Stern


O filme inédito Senhora Stern, de Anatol Schuster - que traz uma comovente, mas engraçada, meditação sobre a vida, a morte e tudo que há entre os dois, estreou direto no streaming da Supo Mungam Plus no dia 16/04,  e estreia hoje, 29/04, no  Now e Vivo Play.

Vencedor do Prêmio de Melhor Filme, Melhor Atriz e da Crítica Alemã no Festival de Achtung Berlim, o longa tem como protagonista  uma sobrevivente do Holocausto, que tem 90 anos, e  deseja encontrar uma saída desta vida, mas a cada tentativa de deixar este mundo, a vida lhe traz surpresas. O filme traz  uma atuação maravilhosa de Ahuva Sommerfeld, em seu primeiro e último trabalho, visto que ela faleceu em 2019, após o término das filmagens.

Em Senhora Stern, que se passa na Berlim atual, a protagonista é uma sobrevivente do Holocausto e tem 90 anos. Ela deseja encontrar uma saída desta vida, mas a cada tentativa de deixar este mundo, a vida lhe traz surpresas. Ela passa seu tempo alegremente com sua neta, Elli, e seu grupo eclético de amigos, vivenciando estes momentos ao máximo. Mas isso entra em constante conflito com a sobriedade de seu desejo de morrer.



E, conseguimos uma entrevista EXCLUSIVA com o diretor, Anatol Schuster.


Sobre o diretor

Anatol Schuster, nascido em 1985 em Darmstadt, estudou literatura e filosofia em Regensburg e Avignon antes de completar seus estudos de direção na HFF Munique. Seu média-metragem EIN IDEALER ORT foi exibido no Festival de Berlim, na mostra Perspektive Deutsches Kino. Seu primeiro longa, LUFT, foi selecionado para o Festival de Munique. "Senhora Stern" é seu segundo longa e foi exibido em mais de 20 festivais, entre eles o tradicional Max Ophüls.



Confira a entrevista a seguir em português e inglês:


PORTUGUÊS


Mais Filme: Como surgiu a ideia para Senhora Stern?

Anatol Schuster: A história surgiu depois que conheci Ahuva Sommerfeld pela primeira vez. Eu imediatamente senti uma forte conexão com ela. Ahuva era uma mente livre sem sofisticação. Ela zombou da morte. Isso me impressionou. Todos temos medo de morrer. As pessoas evitam falar sobre isso. Mas a morte é a coisa mais definida na vida. Temos que enfrentar a morte, caso contrário, temos medo da vida e evitamos viver. É por isso que queria fazer este filme. Na verdade, é sobre a paixão de viver.

A história foi escrita para Ahuva Sommerfeld. Eu não teria feito o filme sem Ahuva. A personagem de Stern é inspirada em Ahuva Sommerfeld. Mas Ahuva não é a Sra. Stern.


Mais Filme: Como foi o processo criativo do filme?

Anatol Schuster: Eu diria que escolhemos uma abordagem subversiva para realizar o filme. Filmamos com uma equipe muito pequena, o que não nos limitou em nada, pelo contrário, deu-nos liberdade para sermos abertos e espontâneos. Não era tudo sobre o filme. Passamos um tempo juntos. Compartilhamos momentos, risos e histórias. Todas as decisões artísticas vieram de cor.


Mais Filme: Você imaginou que o filme seria tão bem recebido pelo público e pela crítica?

Anatol Schuster: Nós nos divertimos muito fazendo este filme. Não pensamos em como o filme seria recebido. Acho isso muito importante para qualquer visão artística. E eu acho que essa é a qualidade do filme. Você pode sentir o cheiro do espírito de liberdade.


Mais Filme: Que mensagem você gostaria de deixar para os espectadores brasileiros com Senhora Stern?

Anatol Schuster: Entre no filme e dê um passeio com a Sra. Stern pelas ruas de Berlim. O que você encontra é louco, absurdo, engraçado.

A luta da vida é provavelmente a mesma em qualquer lugar, quer você viva no Brasil ou em Berlim. Mas espero que a Sra. Stern o inspire a se divertir.



INGLÊS


Mais Filme: How did the idea for the movie come about?

Anatol Schuster: The story came up after I met Ahuva Sommerfeld for the first time. I immediately felt a strong connection to her. Ahuva was an unsophisticated free mind. She made fun of death. That impressed me. We are all afraid of dying. People avoid to talk about it. But death is the most definite thing in life. We have to face death, otherwise we are scared of life and avoid living. That's why I wanted to make this film. It's actually about the passion of living. 


Mais Filme: How was the selection process for Ahuva Sommerfeld?

Anatol Schuster: As the story was written for Ahuva Sommerfeld, there was no selection process in terms of casting. I wouldn't have made the film without Ahuva. The character of Ms Stern is inspired by Ahuva Sommerfeld. But Ahuva is not Ms Stern. 


Mais Filme: How was the movie’s creative process?

Anatol Schuster: I'd say we chose a subversive approach to realize the film. We shot in a very small team, which was not limiting at all, on the contrary, it gave us freedom to be open minded and spontaneous. It was not all about the film. We spent time together. We shared moments, laughs and stories. All artistic decisions came by heart. 


Mais Filme: Did you imagine that the film would be so well received by audiences and critics?

Anatol Schuster: We had a lot of fun making this film. We did not think about how the film would be received. I think this is very important for any artistic vision. And I think this is the quality of the film. You can smell the spirit of freedom. 


Mais Filme: What message would you like to leave to the Brazilians with the film?

Anatol Schuster: Jump into the film and take a walk with Ms Stern through the streets of Berlin. What you find is crazy, absurd, funny.

The struggle of life is probably the same everywhere, wether you live in Brazil or in Berlin. But I hope Ms Stern will inspire you to enjoy it.


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas