Oldboy


Baseado em um mangá, e escrito e dirigido por Chan-wook Park, Oldboy (2003) retrata a história de Dae-su, um homem bem casado e pai de uma menina de 3 anos, que é preso por estar alcoolizado. Ao ser liberado ele liga para casa de uma cabine telefônica e logo em seguida é sequestrado , deixando como pista apenas o presente que havia comprado para a filha. Pouco depois ele percebe estar em uma estranha prisão, que na verdade é um quarto de hotel onde há apenas uma TV ligada, no qual recebe pouca comida, entregue a ele através de uma porta e respira um gás que o faz dormir diariamente. 
Através do noticiário da TV, ele descobre que é o principal suspeito do assassinato brutal de sua esposa, o que faz com que tente o suicídio. Sem obter sucesso, ele passa a se adaptar à escuridão do quarto-prisão e a utilizar o aparelho de TV para preparar seu corpo e mente para sobreviver à pena que está sendo obrigado a cumprir sem saber o porquê. Mas ele não desiste de se vingar de quem o prendeu tão crucialmente.
O tempo passa para ele da mesma maneira que passa para a televisão, porque é a única coisa presente no quarto para distrai-lo O som do aparelho é o único que ele tem acesso durante seu confinamento. A passagem de tempo no filme é marcada pelos eventos ocorridos onde Dae-su reside, a Coréia, e o seu envelhecimento e mudanças físicas são marcadas com uma música de fundo (background). Quando essa passagem se encerra, percebemos que Dae-su fica preso por 15 anos. As cenas de luta presente são totalmente compassadas, como se fossem uma dança, um ato poético e não um ato de violência, e as músicas de fundo que ajudam a compor a cena são clássicas, dando um aspecto lúdico à trama.
Com a visita de uma hipnotizadora, Dae-su é finalmente solto. A primeira coisa que faz quando consegue sua tão almejada liberdade é ir a um restaurante para matar o desejo de comer frutos do mar vivos. Lá ele conhece uma bela moça chamada Mido e os dois se apaixonam à primeira vista. Durante sua refeição, ele recebe uma ligação misterosa da pessoa que o prendeu, e logo em seguida, passa mal e desmaia. A gentil mocinha então o leva para casa para socorre-lo. Ao se recuperar, estando tão carente e apaixonado, ele tenta seduzi-la, porém ela nega e alega não estar pronta para se entregar a ele, por ser virgem. Mas como ela também o ama muito, cria um código (que é uma música que Dae-su havia escrito em seu diário da prisão) para mostrar a ele quando se sentisse preparada. A música está muito presente nesse filme. 
Quando finalmente descobre quem o prendeu, ele tenta entender o motivo. Sua memória o faz recordar que foi porquê falou demais: contou o caso de incesto do seu torturador e a irmã dele; havia espalhado o que tinha visto por toda a escola. A irmã, não aguentando a pressão de estar grávida do próprio irmão se mata. Por isso, seu irmão prende e tortura Dae-su, para fazer justiça com as próprias mãos. Seu toturador o revela que sua vingança foi pior do que ele poderia imaginar, pois Mido, o seu grande amor, e moça que foi desvirginada por Dae-su, era a sua filha, aquela que ele não via desde que ela tinha 3 anos.Havia sido criada e também hipnotizada, como seu pai, por esse torturador. Tudo havia sido uma armadilha muito bem planejada, uma vingança de incesto.
O som mais torturante do filme não são as músicas, e sim a gravação da transa entre Dae-su e Mido, sua filhinha, que dói mais em seu ouvido do que qualquer facada, pois a dor de ter se apaixonado por sua própria filha foi a maior de todas. Em um ato de extremo desespero, Dae-su corta a própria língua, como um ato de auto-punição pelos seus erros do passado e para que Mido nunca descobrisse que é sua filha. Então, sua vida passa a ser marcada pelo silêncio.
O filme transforma ultra-violência e tabus sexuais em beleza, poesia, silêncio, contemplação. 


Comentários

Postagens mais visitadas